Cusco [Peru] e Machu Picchu, viagem de 5 dias

ver lista de artigos sobre Cusco e Machu Picchu

Roteiro

Propomos uma viagem de 5 dias para conhecer as terras dos Incas: Cusco e Machu Picchu. Esta viagem considera que você utilizará o voo da Avianca-Taca que parte 06h30min do primeiro dia. O retorno começa 14h30min do 5o dia com o voo Cusco-Lima. A conexão em Lima demora cinco horas. A chegada ao Rio, com o acréscimo de três horas devido ao fuso horário, só acontece 5h50min do 6o dia. Não contamos este 6o dia como parte da viagem pois nosso intrépido viajante chegará cedo, podendo passar em casa, tomar um banho e ir trabalhar. Assim, com 5 dias úteis, um carioca pode conhecer o básico de Cusco e Machu Picchu. O roteiro abaixo contempla as atrações top ten de Cusco. Na verdade, acho que são menos que dez atrações, mas há Machu Picchu, que vale por umas cinco. Segue resumo do roteiro:

1o dia
Viagem de avião. Passear no centro da cidade de Cusco.

2o dia
De manhã, fazer caminhada no bairro de San Blas. De tarde, às 14h, fazer passeio City Tour (4 horas) quando visitam-se sítios arqueológicos perto de Cusco.

3o dia
Fazer passeio ao Vale Sagrado, começando 9h da manhã. Tomar trem 4h da tarde, em Ollantaytambo, para ir a Aguas Calientes. Dormir em Aguas Calientes.

4o dia
Visitar Machu Picchu. Voltar de trem para Cusco no final da tarde. (ver artigo sobre visita Machu Picchu)

5o dia
Últimos passeios e compras na cidade. Partida de viagem para o Rio às 14:30h.

Esta viagem fica um pouco corrida. Há duas variantes possíveis que merecem ser consideradas no planejamento da viagem.

1a variante.
Visitar Machu Picchu indo e voltando no mesmo dia, no 4o dia da viagem. Como vantagem desse modelo, fica-se no mesmo hotel em Cusco durante toda a viagem. Também ganha-se mais uma noite para ir aos restaurantes de Cusco, que justificam a visita. A perda maior de ir e voltar no mesmo dia a Machu Picchu é que o trem chega depois das 10h da manhã na cidade e perde-se a oportunidade de ver e fotografar as famosas ruínas à luz do amanhecer.

2a variante.
Estender a viagem mais um dia. Incluir este dia entre o passeio de Vale Sagrado e a visita a Machu Picchu. Com isso, pode-se fazer o passeio do Vale Sagrado, indo e voltando a Cusco. No dia seguinte, dia da viagem a Aguas Calientes, faz-se o passeio Valle Sagrado Sur (Tipón, Andahuaylillas e Piquillacta). O Boleto Turístico inclui a entrada para esses sítios arqueológicos. Esse passeio termina em Ollantaytambo, que fica a meio caminho de trem de Aguas Calientes.

Viagem

O voo da Avianca-Taca é as 06h40minh da manhã. Pedem para chegarmos 3 horas antes. Cheguei 4:30h e ainda tinha pouca gente no checking. O problema é que a Policia Federal do Brasil precisa descansar. O atendimento de vistoria de passaporte só começa 5h. Claro que o responsável tirou o dia para dormir um pouco mais. Só abriu às 5:15h. Enquanto isso, forma-se uma enorme fila de cidadãos esperando no corredor do aeroporto. Nada de especial. Apenas Brasil. Como estão todos relaxados em começo de viagem, tudo corre bem. Resumindo: Dá para chegar 5h da manhã e ainda fazer checking e passar pela PF com tranquilidade.

A companhia aérea Taca fez bem seu trabalho. Chegamos tranquilos em Lima. Aí entram em cena os funcionários públicos. Não havia ninguém na Polícia Federal para atender os passageiros que chegam depois 10h de viagem. O motivo surge: um simulado de terremoto aconteceu. Sensacional. A espera ficou barata: apenas 15 minutos.

Na chegada em Lima, você pega as malas, faz a alfândega em Cusco, e reentra para fazer o voo doméstico de Lima para Cusco. O aeroporto é simpático e adequado para receber os turistas que vão conhecer os monumentos deixados pela Civilização Inca.

O táxi do aeroporto para o hotel custou 25 soles, coisa de 10 dólares. O táxi para a cidade pode ser mais barato. Não fiz esta economia. Contratei do Rio, por email, com o hotel. A vantagem é que tinha um motorista me esperando com meu nome numa plaquinha e o carro era novo e confortável.

Na volta, a partida de Cusco é às 14:30h. A inspeção da bagagem é feita em Cusco. Sua mala será devidamente inspecionada com um policial usando luvas e remexendo em suas roupas. Afinal, alguém pode estar trazendo algum derivado de coca que seja considerado ilegal. A vantagem é que, depois disso, sua mala é despachada diretamente para o Rio. Em Lima, você terá 5 horas para passear pelo aeroporto. Seria bom ter uma excursão para sair do aeroporto, almoçar em Lima e voltar para pegar o voo para o Rio, às 9:30h. Para passar o tempo, fiz uma massagem de 20 minutos (30 soles, 12 dólares) e almocei no restaurante do 2o andar do aeroporto. No caso de comparação com aeroportos, o restaurante funcionou bem na comida e no preço. O restaurante não tinha wifi, mas como ficava perto do Starbucks do aeroporto, peguei emprestado o sinal e atualizei os emails.

Hotel

Estrondei. Fiquei no top de Cusco, o Hotel Monasterio. Belíssimo. Atendimento diferenciado. Localizado atrás da Plaza de Armas. O oxigênio disponível no quarto é pago por fora da diária. Custa 60 dólares o dia. O pessoal do hotel recomendou utilizar um dia ou dois. Usei um dia. Depois disso, já dá para seu corpo se acostumar.

A infraestrutura de hotéis é grande em Cusco. Há os mais caros e sofisticados como o Monasterio e o JW Marriott Hotel Cusco, que são fora de série. Recomendo que se escolham hotéis perto das Praças de Armas ou San Francisco, que definem o Centro de Cusco. Para os mais aventureiros, a cidade oferece um sem número de hostals. O bairro de San Pablo, com suas ruelas, é região indicada para os descolados se instalarem.

Gastronomia

A cozinha peruana é mundialmente famosa. Em 2016, o restaurante top da América Latina ficava em Lima. Os restaurantes de Cusco atendem bem. Veja nosso artigo sobre onde comer na cidade.

Dicas e recomendações gerais

Boleto Turístico:
Para ingressar nos sítios arqueológicos, o melhor a fazer é comprar um boleto turístico na Oficina de Turismo da Avenida del Sol, no prédio da Municipalidad de Cusco. O bilhete custa 130 soles e dá direito a ingressar em 16 atrações, incluindo as que fazem parte do City Tour e do passeio ao Vale Sagrado. Sai mais caro e é menos confortável ir pagando individualmente cada passeio. As igrejas visitadas não entram como atrações do Boleto e devem ser pagas a parte. O custo é metade (70 soles) para estudantes. O Boleto também pode ser comprado na primeira atração que você for visitar em que possa usá-lo. Achei melhor comprar logo na chegada à cidade.

Bilhete do trem da Perurail para Machu Picchu:
Se você comprar seu bilhete de trem pela internet, deverá pegá-lo numa agência da Perurail, junto do MacDonald´s, na Plaza de Armas. O procedimento é fácil, mas deve ser feito para você ter o bilhete de acesso ao trem. Você deve ter o passaporte e o cartão de crédito que usou na compra.

Altitude:
Uma cidade localizada a 3.400m acima do nível do mar causa algum incômodo para quem não vive nas alturas do planeta. Escrevemos um artigo somente sobre a saúde em Cusco para facilitar sua estadia na região.

Dinheiro:
Troquei dinheiro em vários lugares em Cusco e Aguas Calientes. A taxa variou de 2,49 soles/dólar num banco na Plaza de Armas, típico lugar com taxa ruim, a 2,59 soles/dólar numa casa de câmbio em frente a Municipalidad de Cusco. Não recomendo ficar andando de casa em casa buscando a melhor taxa e dando bandeira que tem dólares no bolso. Recomenda-se trocar em pequenos valores, da ordem de US$100. As grandes despesas, tais como hotel e contratação de passeios podem ser feitas no cartão de crédito. A moeda local é para as despesas do dia a dia. Atente para o estado de conservação das notas. Aquelas com pedaços faltando ou riscadas podem ser recusadas. Tive notas de dólares recusados por estarem com pequenos rasgos no meio. Administre os gastos para terminar sem soles no bolso. Eles só têm uso no Peru.

O cartão de crédito Visa funcionou em todos os lugares (em particular, restaurantes) em que decidi usá-lo.

Clima:
A região de Cusco tem duas estações: numa chove, na outra não chove. De junho a outubro são os melhores meses para visitar Cusco. A temporada de chuva acontece entre dezembro e abril. Fui em novembro. O tempo variava, chovia um pouco, depois abria o tempo e fazia sol. Pelo que experimentei, dá pra viajar bem em novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.